Voltar

Notícias

Publicado em 04/04/2013

Segundo semestre começa com altas e recordes nos consórcios

Segundo Sistema de Consórcios, no primeiro mês do segundo semestre a comercialização de novas cotas de imóveis apresentou mais um resultado positivo. Com ele, são 103 meses consecutivo de crescimento no total de participantes no segmento.

Para Rodolfo Montosa, presidente nacional da Abac (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios), “o amadurecimento do comportamento do brasileiro tem crescido nos últimos anos, fato que o faz mais exigente com relação às suas necessidades e com suas disponibilidades financeiras. Ao analisar as diversas formas de aquisição parcelada de um bem, ele tem considerado o Sistema como mais vantajoso. Sem juros, com parcelamento integral do valor e com prestações acessíveis aos orçamentos pessoais ou familiares, o consórcio tem tido adesão constante e crescente”. Na comparação de julho deste ano com o de 2007, o número de participantes ativos cresceu 2,3%: subiu de 3,41 milhões para 3,49 milhões. A venda de novas cotas acumulou 968,9 mil (jan-jul/2008), 2,6% menos que as 994,9 mil (janjul/ 2007) anteriores. As contemplações acompanharam a retração da comercialização. De janeiro a julho de 2008, somaram 445 mil, 3,9% menos que as 463 mil do mesmo período no ano passado. “A exemplo de junho, mesmo com as baixas, geradas em conseqüência de oscilações econômicas pontuais, o volume de consorciados aumentou, caracterizando a maior procura pelo consórcio”, esclarece Montosa. Sonho da casa própria No primeiro mês do segundo semestre, o consórcio de imóveis voltou a crescer. Bateu novamente o recorde histórico de participantes ativos. Em julho, havia 494,9 mil consorciados ativos, número 12,1% superior do que os 441,7 mil daquele mês em 2007. É o 103º mês consecutivo de crescimento do setor. “Ao planejar a formação do seu patrimônio, o brasileiro tem voltado sua atenção para o consórcio de imóveis. Por vincular um compromisso mensal, com parcelas adequadas, sem pagamento de juros, o Sistema tem sido a escolha inteligente de poupança”, explica o presidente da Abac. “Atualmente, há pouco mais de 63 mil cartas de crédito ainda não utilizadas, no total de R$ 5,1 bilhões. O valor médio está próximo a R$ 80 mil”, completa. Nos sete primeiros meses do ano, foram realizadas 114,6 mil novas adesões, 8,8% menos do que as 125,7 mil do ano anterior. As contemplações totalizaram 34,3 mil no acumulado de janeiro a julho de 2008, 20,5% mais que as 28,5 mil (jan-jul/2007) anteriores. Balanço anual Os resultados obtidos nos primeiros meses do ano antecipam projeções positivas para o final de 2008. O presidente nacional da Abac, Rodolfo Montosa, entende que “as expectativas são otimistas, em razão da crescente consciência do consumidor Depois de fazer contas e compará-las, o brasileiro tem ponderado a real necessidade imediata do bem. O Sistema de Consórcios tem sido escolhido por não ter juros, parcelar integralmente o valor desejado, não ter parcelas intermediárias e incluir uma pequena taxa de administração, diluída ao longo do prazo de duração do grupo. Por isso, o balanço anual deverá registrar alta de 5% em relação ao ano passado”, finaliza.

canal de relacionamento triângulo e você